(23 de outubro de 2013)


Objetivando reduzir os acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, dia 16 de outubro foi instalado oficialmente, em Bento Gonçalves, o Fórum Permanente de Segurança e Saúde do Trabalhador. Participaram do evento representantes da Justiça do Trabalho, Ministério Público do Trabalho, Ministério do Trabalho e Emprego, OAB, técnicos em segurança, sindicatos patronais e de trabalhadores, Poder Público Municipal e CIC. Pelo menos 36 entidades de classe e empresariais estão envolvidas no projeto.

A conselheira da OAB no Rio Grande do Sul e sócia da Caleffi e Vanin Advogados Associados S/S, Josana Rosolen Rivoli, destacou que o Fórum ainda não tem uma definição da maneira como atuará, mas acredita que com a experiência de todos os envolvidos pode-se chegar até mesmo nas escolas, para que as crianças tenham conhecimento da importância da segurança no trabalho. "Este Fórum tem uma função social muito grande, pois sua meta é a preservação da vida", observou.

O procurador do Ministério Público do Trabalho, Ricardo Garcia, destacou que a sociedade não quer mais que as atividades econômicas se voltem contra ela. "Temos com este Fórum mais uma ferramenta para lutar contra um mal que consome vidas e os ganhos que seriam provenientes do trabalho", comentou. Atualmente o Brasil gasta cerca de R$ 150 bilhões com acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. É o equivalente ao orçamento anual do BNDES. "Ou seja, ao invés de investirmos todo este dinheiro no que é necessário para o País, estamos pagando prejuízos com acidentes", finalizou.

A próxima atividade do Fórum está prevista para o dia 04 de dezembro, quando serão apreciados os dados sobre acidentes de trabalho.